Pular
Pesquisar no site

24/05/2019 às 11:06

Sessão Solene homenageia Pitt e Professor Getulio

Pedro Martini Neto e José Getulio Machado Franco foram condecorados na noite desta quinta-feira, 23

Cidadão Benemérito, Pitt Martini, e Cidadão Felizense, Professor Getulio
Cidadão Benemérito, Pitt Martini, e Cidadão Felizense, Professor Getulio

Foi um evento marcado por emoção, histórias e aplausos. Aplausos para dois professores que marcaram sua trajetória dentro dos 60 anos do Município de Feliz. E por tudo isso, Pedro Martini Neto e José Getulio Machado Franco foram condecorados na noite desta quinta-feira, dia 23 de maio, como cidadãos honorários da cidade.

José Getulio Machado Franco, o Professor Getúlio, natural de Bagé, recebeu o título de Cidadão Felizense exatamente 46 anos após chegar à cidade para lecionar no Ginásio Estadual de Feliz (hoje Escola Estadual Maria Saturnina Ruschel). Após a leitura de sua biografia, feita pelo vereador Jair Roberto Sehnem, ele recebeu a placa de homenagem das mãos do vereador Leonardo Mayrer. Na tribuna, o professor relembrou sua vinda para a cidade de Feliz, os percalços iniciais, os inúmeros trabalhos realizados junto às escolas, Prefeitura Municipal, clubes, SOCEF, entre outros. Rememorou atividades esportivas e lúdicas que organizou, como a corrida de caíco pelo leito do Rio Caí, e o futebol de meia, disputado defronte a Prefeitura Municipal.

Já Pedro Martini Neto, o Pitt, nato da cidade de Feliz, recebeu o título de Cidadão Benemérito da cidade de Feliz, por todo seu envolvimento comunitário e sua atuação como professor político e empresário. Ele recebeu a placa de homenagem das mãos do vereador Valdecir Kronitzky, após ter sua biografia lida pelo vereador Rafael Auler. No uso da palavra, Pitt destacou a sua alegria em pode compartilhar o momento com a comunidade de Feliz a quem ele tanto se dedicou e espera poder se dedicar muito mais, embora a sua saúde esteja debilitada.

Após as homenagens, os agraciados realizaram uma confraternização ao lado de familiares e amigos, onde puderam rememorar fatos e acontecimentos. A entrega dos títulos honoríficos ao Cidadão Benemérito e ao Cidadão Felizense integrou as comemorações dos 60 anos do Município de Feliz, que prossegue durante todo o mês de maio.

 

Biografia Pedro Martini Neto

Pedro Martini Neto nasceu em 04de maio de 1945, na localidade de São Roque, filho de Fernando Martiny e de Olívia Rambo Martini. Tem 4 irmãos: Albano (falecido), Alba, Lore e Nelly.

Quando criança trabalhou na roça, ajudando seus pais.

Ainda adolescente saiu de casa, em busca de instrução. Foi seminarista por 6 anos, em Bom Princípio, Gravataí e Estrela.

Iniciou sua carreira profissional como professor Primário. Ministrou aulas nas localidades de Vale do Lobo, Picada Cará, e no município de Barão.

Ingressou na política, e em 1972 elegeu-se vereador pela Aliança Renovadora Nacional -ARENA.

Em 1973 foi convidado pelo então Prefeito Alfredo Spier para compor seu secretariado, tendo ocupado inicialmente a secretarias da Administração e, posteriormente, a Secretaria de Obras.

Em 1977, no governo de Alfredo Egydio Reinehr, novamente esteve à frente da Secretaria da Administração e, posteriormente, da secretaria de Minas e Energia. Neste período foram realizadas as obras de eletrificação rural de praticamente todo o interior do município de Feliz, que à época era composto também por Alto Feliz, Linha Nova e Vale Real.

Em 1978 casou-se com Odila Berti Martini, com que teve dois filhos: Pedro Vitor Martini e Andrius Roberto Martini.

Foi presidente da Associação Juvenil São Roque, presidente do Festival do Chopp e da FENAMOR (Festa da Amora e do Morango).

Por muitos anos, foi também presidente do então Partido Democrático Social - PDS, que sucedeu a ARENA, atualmente Partido Progressita (PP). Nesta condição, atuou decisivamente para a construção da ponte sobre o rio Caí que interliga Picada Cará ao Bairro Vila Rica.

Na eleição de 1988 foi o vereador eleito com maior votação, obtendo 750 votos. Em sua legislatura, foi escolhido por seus pares como relator da Lei Orgânica do Município.

Em 1992 foi eleito vice-prefeito na chapa composta com Paulo Caye.

Foi incentivador e um dos responsáveis pela implantação do Corpo de Bombeiros Voluntários de Feliz, tendo conquistado junto ao Governo da Alemanha a doação de um caminhão para combate a incêndio, que é utilizado até os dias de hoje.

Na Assembleia Legislativa do Estado atuou como Assessor Parlamentar em mandatos dos deputados Roberto Athayde Cardona, Erni Petry, Kalil Sehbe e João Fischer.

Recentemente liderou movimento junto ao DAER para municipalização de parte da VRS 843 (Rodovia Feliz/Linha Nova), no trecho correspondente à Rua Alfredo Spier.

Atualmente dedica-se ao gerenciamento de duas empresas e ao cultivo das milhares de amizades que angariou ao longo de 72 anos de vida.


Biografia de José Getulio Machado Franco

Filho de Erci Miranda Franco e Gelsa Machado Franco, nasceu em 22 de agosto de 1948, em Bagé, estando atualmente com 70 anos. Casado com Teresinha Barcarollo, é pai de Paola Cristina Piske e Nadia Franco Bastian. É avô de Ana Laura (2 anos), Valentina (4 anos), David (10 anos). Sua atuação profissão foi na área da Educação Física, tendo atuado em Porto Alegre, São Sebastião do Caí e Feliz.

Estudou no Grupo Silveira Martins, em Bagé, onde fez o Primário, passando pelo Ginasial, no Ginásio Estadual de Bagé, e concluiu o 2º grau em Técnico em Contabilidade, na Escola Técnica DR. Antenor Gonçalves Pereira, em Bagé. Sua graduação em Educação Física foi realizada na UFRGS, em Porto Alegre, onde também fez sua Pós-Graduação em Técnica Desportiva, onde definitivamente se inseriu no meio esportivo, realizando cursos de Tênis, Handebol, Natação, Atletismo e Futebol. Ainda como aluno da UFRGS, tornou-se coordenador da Colônia de Férias da Universidade em Tramandaí, durante 5 anos.

Formado em Educação Física em 1975, o Professor Getúlio trabalhou no Banco da Província do RS, antes da graduação. Durante os estudos, trabalhou como técnico de vôlei da equipe do Colégio Rosário, até que em 1973, através de um contrato emergencial com o Governo do Estado, foi designado para trabalhar no interior, podendo escolher entre Torres, Tramandaí ou Feliz. Escolheu Feliz, por ser a cidade mais próxima de Porto Alegre, onde seguia estudando. No dia 25 de maio de 1973, foi sua primeira vinda para a cidade, para começar a trabalhar no Ginásio Estadual de Feliz (hoje Escola Estadual Maria Saturnina Ruschel). Morava em Porto Alegre e vinha para a cidade de Feliz três vezes por semana.

Após a formatura, tomou Feliz como cidade para morar, fixando sua residência. Trabalhou as diversas modalidades esportivas, formando seleções e levando os alunos a participarem de competições escolares como o JERGS. Com a criação do Colégio de 2º Grau (atual Colégio Jacob Milton Bennemann), Getulio foi transferido para o educandário onde passou a desenvolver também atividades de formação de professores. Acrescentou a sua atividade profissional, também, a Escola Pastor Heine Hunsche, que hoje pertence a Linha Nova. Em 1994, ingressou na rede municipal de ensino através de concurso público, passando a atender os alunos da Escola Conego Alberto Schwade, em São Roque.

Ao longo da história de Feliz trabalhou junto a vários prefeitos municipais. Com Alfredo Spier criou o Conselho Municipal de Desporto (CMD), em 1975, organizando o primeiro Campeonato Municipal de Futebol, quando Alto Feliz, Vale Real e Linha Nova ainda integravam o Município de Feliz. Posteriormente, incentivou a participação de clubes do Município no Campeonato Intermunicipal de Futebol da Serra, bem como do Campeonato Estadual de Amadores, que teve o Juventus como grande campeão em 1989. Auxiliou, ainda, na organização da 1ª Olimpíada Municipal, que fez muito sucesso com a comunidade, Torneio do Dia do Trabalho e Olimpíadas Escolares.

Criou a Escolinha do Juventus junto com os incentivadores Modesto Petry e César Assmann, sendo responsável pela revelação de vários talentos, como Adilson Zimmer, Erasmo Henz, Adilson Warken e Eduardo Martini, que vestiram a camisa do Grêmio; além de Kiko Selbach e Luis Oscar Rauber que foram destaques em campanhas vitoriosas do Juventude, de Caxias do Sul. Além dos talentos, os resultados dentro de campo também foram bons, com destaque para a conquista do Campeonato Metropolitano, em que venceu na decisão o Grêmio, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre. Mais tarde, em Capão da Canoa, com alunos nascidos no ano de 1987, a história de se repetiu. No campeonato Municipal, a escolinha também fez bonito conquistando vários títulos municipais.

O Campeonato Interno de Futsal da SOCEF também nasceu com a colaboração do professor. Dentro da entidade criou, ainda, a escolinha de tênis, auxiliando na construção da cancha, integrou a 1ª edição do Baile dos Comendadores e auxiliou na organização do Festival Nacional do Chopp e integrou a diretoria por diversos anos.

Suas ações também se voltaram para o Clube Aquático de Feliz, onde deu aulas particulares para crianças e adultos, para a construção de praças esportivas, como as canchas de Futebol 7, vôlei e pista de atletismo no Parque Municipal e para a Academia de Ginastica, aberta ao lado da professora Isabel Assmann, em 1980.

Em fevereiro deste ano, Getulio aposentou-se das atividades diárias junto à academia de sua filha Nadia, mas sempre que preciso está à disposição para auxiliar quando necessário.